Um arco-íris depois da tempestade

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

É fascinante como a própria Criação proclama a glória de Deus e nos ensina sobre questões de fé. Tome um arco-íris. É brilhante e bonito, colorido e inspirador. 

Todos se alegram ao ver um arco-íris. Mas não existiria um arco-íris sem chuva ou tempestades. Como a vida. Teremos bons dias seguidos de maus e maus dias seguidos de bom. Não devemos nos surpreender com um ou outro. 

Em um bom dia cheio de alegria devemos agradecer a Deus e estar ciente de que o “arco-íris” é um presente. Devemos saboreá-lo para que nos lembremos disso nos dias ruins. 

Quando chega um dia ruim, devemos agradecer a Deus. Devemos agradecê-lo pelo conhecimento de que isso também passará se esperarmos pacientemente por ele. 

A vida é cheia de altos e baixos, mas a Misericórdia de Deus é eterna e nos levará através de todas as coisas..

Reflita, hoje, sobre a diferença entre um arco-íris e uma tempestade. Imagine um arco-íris cheio de cor radiante que se estende pelo céu de uma ponta à outra. 

É lindo e inspirador, a causa de um sorriso e deleite. Agora compare isso com a tempestade que o precedeu. No meio da tempestade, o próximo arco-íris não teria sido pensado. Em vez disso, o foco principal é procurar abrigo. 

Reflita sobre como isso pode ser semelhante à sua vida pessoal. Quando você sente dor ou é bombardeado com desafios, você corre e se esconde? 

Você também deve se lembrar que toda luta é o precursor de um arco-íris. Mantenha as bênçãos da Misericórdia de Deus vivas em sua mente, para que elas o levem diariamente pelos desafios da vida.

Senhor, mantenha meus olhos em você em todos os momentos. Que eu guarde esperança e alegria no meio de toda tempestade de vida. Por favor, lembrem-me quando eu me sentir oprimido e bombardeado de que isso também passará e que Você trará minhas lutas e minha vida para uma completa e alegre conclusão. Jesus eu confio em vós.

PALAVRA BÍBLICA

E aconteceu nos dias de Anrafel, rei de Sinar, Arioque, rei de Elasar, Quedorlaomer, rei de Elão, e Tidal, rei de Goim,
Que estes fizeram guerra a Bera, rei de Sodoma, a Birsa, rei de Gomorra, a Sinabe, rei de Admá, e a Semeber, rei de Zeboim, e ao rei de Belá (esta é Zoar).
Todos estes se ajuntaram no vale de Sidim (que é o Mar Salgado).
Doze anos haviam servido a Quedorlaomer, mas ao décimo terceiro ano rebelaram-se.
E ao décimo quarto ano veio Quedorlaomer, e os reis que estavam com ele, e feriram aos refains em Asterote-Carnaim, e aos zuzins em Hã, e aos emins em Savé-Quiriataim,
E aos horeus no seu monte Seir, até El-Parã que está junto ao deserto.
Depois tornaram e vieram a En-Mispate (que é Cades), e feriram toda a terra dos amalequitas, e também aos amorreus, que habitavam em Hazazom-Tamar.
Então saiu o rei de Sodoma, e o rei de Gomorra, e o rei de Admá, e o rei de Zeboim, e o rei de Belá (esta é Zoar), e ordenaram batalha contra eles no vale de Sidim,
Contra Quedorlaomer, rei de Elão, e Tidal, rei de Goim, e Anrafel, rei de Sinar, e Arioque, rei de Elasar; quatro reis contra cinco.
E o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; e fugiram os reis de Sodoma e de Gomorra, e caíram ali; e os restantes fugiram para um monte.
E tomaram todos os bens de Sodoma, e de Gomorra, e todo o seu mantimento e foram-se.
Também tomaram a Ló, que habitava em Sodoma, filho do irmão de Abrão, e os seus bens, e foram-se.
Então veio um, que escapara, e o contou a Abrão, o hebreu; ele habitava junto dos carvalhais de Manre, o amorreu, irmão de Escol, e irmão de Aner; eles eram confederados de Abrão.
Ouvindo, pois, Abrão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã.
E dividiu-se contra eles de noite, ele e os seus criados, e os feriu, e os perseguiu até Hobá, que fica à esquerda de Damasco.
E tornou a trazer todos os seus bens, e tornou a trazer também a Ló, seu irmão, e os seus bens, e também as mulheres, e o povo.
E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) até ao Vale de Savé, que é o vale do rei.
E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.
E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;
E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.
E o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me a mim as pessoas, e os bens toma para ti.
Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao Senhor, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra,
Jurando que desde um fio até à correia de um sapato, não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu; para que não digas: Eu enriqueci a Abrão;
Salvo tão-somente o que os jovens comeram, e a parte que toca aos homens que comigo foram, Aner, Escol e Manre; estes que tomem a sua parte.

Gênesis 14:1-24 

Via Divine Mercy (traduzido e adaptado)

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Deixe um comentário

Rolar para cima
Advertisment ad adsense adlogger