Polícia do DF diz se Givaldo Alves abusou de mulher em carro; marido traído é indiciado

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram

Eduardo Alves Souza foi indiciado pelo crime de lesão corporal por agredir Givaldo.

 

Para alguns, um dos casos mais insuportáveis do Brasil nos últimos meses. Para outros, motivo de diversão. O caso envolvendo o morador de rua Givaldo Alves, ocorrido no Distrito Federal, repercutiu bastante em todo o país. Givaldo virou uma espécie de subcelebridade tupiniquim com grande espaço nas redes sociais.

Givaldo foi flagrado dentro de um carro, em Planaltina, com Sandra Mara Fernandes. A mulher, casada, foi encaminhada a uma clínica depois do ocorrido. Ela sofria de transtornos e precisou ficar internada por alguns dias para se recuperar. Depois de receber alta, ela chorou ao gravar vídeo nas redes sociais para falar sobre o assunto.

Eduardo Alves, marido de Sandra e personal trainer, ao flagrar a esposa com um estranho dentro do carro, agrediu Givaldo. A princípio, ele pensou que a esposa estivesse sendo abusada. Para a Polícia Civil do Distrito Federal não foi isso que aconteceu.

Na sexta-feira (20), o inquérito foi concluído. Para a polícia, Givaldo não abusou de Sandra. A defesa do ex-morador de rua comemorou a decisão tomada pelas autoridades competentes. Os investigadores também entenderam que a agressão de Eduardo se enquadrava em lesão corporal e ele foi indiciado pelos policiais. 

O caso segue agora para o Ministério Público do Distrito Federal, que deverá tomar um de dois caminhos possíveis: arquivar o caso ou oferecer denúncia à Justiça.

Caso opte pela segunda opção, Eduardo vai ao banco dos réus e será julgado pela lesão corporal, crime de menor poder ofensivo, com pena que varia de três meses a um ano.

🙏 Envie esse texto para pessoas queridas ❤️
Compartilhar no whatsapp
ENVIE PARA ALGUÉM
Compartilhar no whatsapp
ENVIAR PARA GRUPO

Deixe um comentário

Rolar para cima