PALAVRA DE DEUS: Deus sabe do que você precisa!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Há pessoas que pensam como os fariseus que a virtude e a santidade consistem em orações de grande extensão, nas visitas às igrejas e, em alguma abstinência especial, nos retiros, na modéstia do traje, nas conferências espirituais ou em algum exercício de devoção exterior; mas em tudo isso que pensa em humildade?

Quem estima e estuda para adquiri-lo? O que é tudo isso, então, senão uma ilusão vã?

 

Lemos sobre vários filósofos antigos que apresentavam calúnia, insultos e desprezo com perfeita equanimidade e sem raiva ou perturbação, mas nem sequer sabiam o nome da humildade. Sua corajosa fortaleza era apenas um efeito de refinado orgulho, pois, como se consideravam muito acima de reis e imperadores, pouco se importavam com os insultos e mantinham sua equanimidade pelo desprezo com que desprezavam os que os insultavam.

Superaram seu sentimento de ressentimento por uma paixão que ainda era mais dominante, e que eram modestos, pacíficos e gentis, era um efeito daquele orgulho que despoticamente governava os sentimentos de seus corações.

Há uma imensa diferença entre a moralidade da filosofia humana e aquela moralidade evangélica ensinada por Jesus Cristo.

Ler as obras de Seneca atentamente —– aquele que foi realizada para ultrapassar todos os outros filósofos da moralidade, —– e você vai ver como naquelas mesmas máximas com as quais ele ensina magnanimidade e fortaleza ele também instila orgulho.

Leia as obras dos mais famosos dos estóicos, e você dirá com São Jerônimo que “Quando eles são estudados com o maior cuidado e atenção, não se encontra nenhuma plenitude satisfatória da verdade, nenhuma correspondência com os verdadeiros princípios de justiça.” [ Epist . 146, ad Damas .]

Tudo é vaidade que só inspira vaidade.

É somente no Evangelho de Jesus Cristo que se encontram as regras dessa humildade de coração que é a verdadeira virtude, consistindo no conhecimento da grandeza de Deus e do nosso próprio nada; e é atendendo ao estudo dessa sábia humildade que cumprimos o preceito apostólico: “Não ser mais sábio do que prudente ser sábio, mas ser sábio para a sobriedade”. [ROM. xii, 3]

Jesus Cristo, antes de ensinar qualquer coisa sobre Sua nova lei, desejava ensinar humildade, como São João Crisóstomo observa: “Quando Ele começou a estabelecer suas leis divinas, começou com humildade”. [ Hom . 39 em Mateus .]

Pois sem humildade é impossível compreender esta doutrina celestial, mas com humildade somos capazes de entender tudo que é necessário ou útil para nossa salvação.

 

CLIQUE ABAIXO E OUÇA A PALAVRA DE DEUS

 

MAIS LIDAS DA SEMANA

Deixe um comentário

Rolar para cima
Advertisment ad adsense adlogger