VÍDEO: Motorista de aplicativo agredida por passageiros recebe apoio de internautas

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram

Após se recusar a levar quatro passageiros no veículo, a motorista de aplicativo Janaína Gomes, 44 anos, foi agredida por uma mulher e um homem.

Ela ficou gravemente ferida e precisará passar por cirurgia. Por isso vai ficar sem trabalhar por pelo menos dois meses. O caso aconteceu em Belo Horizonte.

Ainda muito abalada e preocupada em como irá se manter, ela tem recebido apoio de internautas através de uma vaquinha no Só Vaquinha Boa.

Janaína é motorista há 4 anos e essa é a sua única fonte de renda para pagar o carro financiado (que comprou exatamente para conseguir trabalhar com o aplicativo) e as contas de casa, onde mora sozinha.

Após as agressões, onde recebeu vários socos, principalmente de um homem de 35 anos, ela ficou com lesões que a impossibilitaram de continuar dirigindo e trabalhando. Janaína teve o ligamento do joelho rompido e precisará passar por cirurgia. O olho esquerdo ficou bem machucado, além de um corte na testa.

Mas muito mais que as marcas físicas, ela ficou com marcas emocionais. Está bem abalada com tudo que aconteceu e ainda está com muito medo. Com dor, ela tenta ainda fazer algumas corridas para não ficar sem o sustento de casa.

VÍDEO: Motorista de aplicativo agredida por passageiros recebe apoio de internautas 1

Para que ela possa parar, fazer a cirurgia e se recuperar, a vaquinha é para ajudá-la nos custos com a cirurgia (convênio médico cobre apenas uma parte) e com o sustento.

A motorista respeitou as recomendações da Uber, que são usadas desde o início da pandemia, cujo protocolo de segurança orienta os motoristas a levarem no máximo três pessoas.

Como tudo aconteceu

O caso ocorreu no dia 28 de novembro, na Rua Jundiaí, no bairro Concórdia, na Região Nordeste de Belo Horizonte.

Janaína contou ao Só Notícia Boa que recebeu uma chamada para uma viagem que teria uma parada. Duas passageiras já estavam no carro e pediram para receber mais duas.

No entanto, a motorista negou o pedido e explicou que não é permitido viajar com quatro passageiros no veículo. A mãe de uma das passageiras se irritou e deu início às agressões.

Em entrevista a imprensa, a suposta agressora informou que Janaína estava alterada e que ela teria dado início às agressões.

Segundo a Polícia Civil, as duas assinaram um termo circunstanciado de Ocorrência (TCO). Elas foram ouvidas e assinaram termo de compromisso para comparecer em audiência a ser agendada pelo Juizado Especial Criminal de Belo Horizonte e, em seguida, liberadas.

Um homem de 35 anos, que também estava envolvido na condução, tinha dois mandados de prisão em aberto. A PCMG deu cumprimento aos mandados expedidos pelo Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro e, em seguida, encaminhou o suspeito ao sistema prisional.

Nota da Uber

Em nota, a Uber se pronunciou: disse que considera inaceitável o uso de violência e desativou a conta da passageira.

“Este tipo de comportamento configura uma violação aos termos de uso da plataforma e a conta que solicitou a viagem já foi desativada, enquanto aguardamos pelas apurações.

A empresa permanece à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, na forma da lei”, disse a empresa.

🙏 Envie esse texto para pessoas queridas ❤️
Compartilhar no whatsapp
ENVIE PARA ALGUÉM
Compartilhar no whatsapp
ENVIAR PARA GRUPO

Deixe um comentário

Rolar para cima