Impressionante: Elize Matsunaga escreve livro para contar à filha motivo de ter tirado a vida do marido

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram

Elize contou que tem um manuscrito de um livro para contar à filha o motivo de ter tirado a vida do marido em 2012.

Após 10 anos de um caso que gerou repercussão em todo o Brasil, Elize Matsunaga conta que quer publicar um livro em que conta a sua história, tendo até um título definido: Piquenique no Inferno. Ela escreveu esse livro a próprio punho, pedindo perdão para a filha, que não pode ver desde 2012.

No manuscrito, ela conta para a menina que na época em que baleou, tirou a vida e esquartejou sozinha o marido, Marcos Matsunaga, foi para se proteger das agressões e das ofensas por parte dele.

Elize Matsunaga quer publicar livro

 

A expectativa de Elize é de que a filha, atualmente com 11 anos, possa ler essa obra um dia, quando for adulta e assim conhecer a versão da mãe para tudo o que aconteceu. A Justiça decidiu que a guarda da menina fosse entregue aos avós paternos, que proíbem qualquer contato dela com a mãe.

Nos seus escritos, ela conta desde a sua origem que é humilde, até os relatos de ter sido vítima de violência sexual quando adolescente e doméstica, quando se casou com Marcos.

Em uma carta incluída no texto, Elize diz que não sabe quando a menina lerá esse texto ou se um dia isso acontecerá. Reconhece que essa é uma história complicada, porém, o que escreveu não se apagará tão fácil.

Caso Matsunaga

O caso que foi uma das maiores repercussões de um crime no Brasil, aconteceu no dia 19 de maio de 2012, no apartamento da família, que fica na Zona Oeste da cidade de São Paulo. O crime repercutiu na imprensa por envolver a bacharel em direito, casada com o herdeiro das indústrias Yoki. Elize tinha 30 anos e Marcos 42.

Via 1 News

🙏 Envie esse texto para pessoas queridas ❤️
Compartilhar no whatsapp
ENVIE PARA ALGUÉM
Compartilhar no whatsapp
ENVIAR PARA GRUPO

Deixe um comentário

Rolar para cima